sexta-feira, 22 de maio de 2015

Game os Crentes ("Jogo dos Crente" em inglês) - Capítulo 6: Manifestação em Cristo

No capítulo anterior de "Game os Crentes": Cleycianne descobre que Layla Camile virou sapatão, a amarra na cama, dá umas gotinhas de Rivotril para ela se acalmar e acha um iPhone 6 Plus em seu bolso, a irmã pega o aparelho e dá para Deivisson, como recompensa por ter ficado ao seu lado a semana inteira. Ao chegar na Igreja Ungida de São Miguel não é recebida pelo Pastor, um bilhete diz que a Igreja não receberá a "Assassina de Itaquera", o boato corre pelas congregações. Cleycianne vê na cura de Deivisson sua última esperança para conseguir o seu exército. A cura é selada com um beijo entre Cley e Deivisson, o que deixa o pai do rapaz orgulhoso. Cleycianne deixa Deivisson em sua casa em São Mateus e segue para a sua grande manifestação em Cristo, crente que terá o apoio de pelo menos aquela Igreja. 



Game os Crentes ("Jogo dos Crente" em inglês) 
Capítulo 6: Manifestação em Cristo
Autor: Deus
Escritoura e revisoura gramatical: Cleycianne Ferreira



Domingo - Dia da Manifestação em Cristo

Acordei linda como sempre, peguei meu melhor vestido de viscose branco, coloquei uma faixa verde e amarela na cabeça, peguei tinta guache e escrevi em minha testa: FORA CERCÍLIA. Fui até o quarto de Layla, onde ela ainda estava amarrada, a alimentei com duas folhas de alface e pinguei algumas gotinhas de Rivotril em Cristo pra ela ficar bem calminha, pois só resolveria aquele problema depois de virar rainha da congregação novamente. Me alimentei com um copo de água e um pedacinho de maçã, para não desmaiar durante o dia, e sai de minha casa linda e loura em direção à Igreja Ungida de Itaquera, onde os irmões da congregação iriam se concentrar. 

Ao chegar na frente da Igreja levei um susto, só Irmã Fernanda havia comparecido, com sua camiseta da seleção brasileira e uma linda saia jeans com bandeirinhas do Brasil e fotos minhas. 

- Cadê o resto dos irmões, Irmã Fernanda? - questionei a irmã duramente.
- Cley, a irmã Wanda está chegando, quanto ao resto...
- O que aconteceu com o resto? ME DIGA IRMÃ OBESA, EM NOME DO SENHOR! - ordenei com muito afinco em Cristo.
- Bem, os boatos de que você é assassina do Pastor Adenilson não param de se espelhar pelo WhatsApp, todos os pastores tiraram o apoio de sua causa e agora estão ao lado de Cercília. O Pastor Jairo daqui da congregação é um deles...

Como um absurdo daqueles poderia acontecer comigo? Apunhalada em minha própria congregação e pelo Pastor que me aconselhou a fazer tudo isso! Mas eu não tinha escolha, eu tinha que continuar o que havia começado, não iria desistir de tudo aquilo. Porém logo avistei Irmã Wanda correndo em minha direção:

- Cley, acho melhor você não ir até a Igreja Ungida do Tatuapé - disse Irmã Wanda ofegante, porém vestida com uma camiseta da seleção brasileira e rosto pintado.
- Nada me fará desistir de minha Manifestação em Cristo, Irmã Wanda - disse eu empurrando a ex-sapatão.
- Amiga, meu noivo e policial,  Robertão Varão de Deus, me passou a informação que já está tudo pronto para que você seja presa, Cercília conseguiu provas de que você é a assassina do Pastor Adenilson! - disse Irmã Wanda tocando levemente em meus seios, como se quisesse alcançar meu coração.

Joguei o cabelo para o lado esquerdo, fiz cara de sofrimento, soltei uma lágrima pelo olho esquerdo, fiquei 37 segundos com o olhar paralisado no horizonte e falei:

- Eu não sou assassina, eu não vou fugir. Deus está do meu lado, está comigo e eu vou mesmo que seja sozinha até a Igreja Ungida do Tatuapé. 

Uma música triste, porém heróica, tocou em minha mente no momento e em câmera lenta as irmãs, emocionadas, me abraçaram como sinal de apoio.

Seguimos juntas até a estação de metrô Tatuapé, onde os irmões de outras congregações se concentrariam. Ao chegar lá, o esperado: não havia ninguém me esperando para seguir à Manifestação em Cristo, era apenas eu, Irmã Wanda e Irmã Fernanda e mesmo com aquela facada em meu coração segui de cabeça erguida, até avistar um rapaz moreno, forte e de sobrancelhas feitas vindo em minha direção, era Deivisson.

- Cleycianne, eu vim! Acredito que você não é uma assassina e estou ao seu lado nessa batalha. - disse Deivisson olhando bem em meus olhos claros da América do Norte. 

Impulsionada pela emoção, abracei Deivisson bem forte, até sentir os seus músculos se pressionarem contra o meu corpo.

- Nem sei o que dizer... Muito obrigado, Deivisson - disse eu emocionada.
- Bem, apesar de você ter me dado um iPhone usado, que eu ainda não consegui desbloquear a senha, eu só quero te ajudar, por isso, saí pelas ruas do Tatuapé e convoquei várias pessoas para a sua manifestação.  
Quando olhei para o lado, quase não acreditei! Havia umas 50 pessoas vestidas com a camisa da seleção brasileira e segurando cartazes. Muitos pediam a volta da Ditadura Militar, outros Fora Dilma, outros pediam Pizza + Barata em SP, mas nada daquilo importava, o importante era ter gente revoltada ao meu lado.

Seguimos batendo panelas pelas rua do chique bairro do Tatuapé, 50 pessoas, 275 pessoas segundo estimativas da PM. Enquanto eu, minhas dragonas e Deivisson gritávamos pedindo a renúncia de Cercília, as outras pessoas entoavam vários outros gritos de guerra, ouviasse até "ai, ai ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai, em cima, embaixo, puxa e vai", era a festa da democracia.

Fomos nos aproximando da Igreja Ungida do Tatuapé, e eu já fui avistando muitos carros de polícia  e Irmã Cercília com as mões na cintura na frente deles apenas me esperando. Joguei meu cabelo para trás e tomei a frente da multidão de 50 pessoas, marchando com muito sangue no zóio em Cristo.

- Eu sou Cleycianne Ferreira, a Ungida, Faladora de Línguas, Serva do Senhor no mundo da internet, Rainha dos blogs, dos faces e da congregação, a não-obesa, Loura, Curadora de Hps e Lms, Linda, Filha preferida de God, a Não penetrada, Mãe de Layla Camile, Rainha de Itaquera, Rainha dos Ungidos e dos Primeiros Varões, Senhora das Sete Igrejas, Khaleesi dos Crentes, a Primeira de Seu Nome. Venho aqui pedir que Irmã Cercília do Tatuapé renuncie o trono da Igreja Ungida e passe ele para mim, pois essa é a vontade de meu Deus - falei utilizando o lindo meu megafone enquanto me aproximava de Cercília e dos policiais. 

Cercília, rodeada de policiais, esperou eu chegar bem perto com minha multidão, que gritava diversas coisas, para dizer:

- ASSASSINA!! PRENDAM ESSA ASSASSINA!! 

Tudo aconteceu muito rápido! Vinte políciais vieram em minha direção para me imobilizar, a multidão saiu correndo com medo que soltassem gazes de pimenta, minhas dragonas choravam e gritavam dizendo que eu não era assassina, enquanto Deivisson tentava me alcançar no meio dos policiais, que o imobilizavam por trás. Até que uma voz encerrou toda a confusão:

- Calma, não precisa de tudo isso!! PAREM, AGORA! 

Algemada e toda cagada em Cristo, percebi que a voz era de Robertão Varão de Deus, o noivo de Irmã Wanda, que pedia loucamente para que seu amado meu soltasse.

- Irmã Cleycianne, estamos te prendendo pois Irmã Cercília apresentou uma prova de que você envenenou o Pastor Adenilson Nogueira. Uma irmã diz que viu você colocar veneno no copo de água do Pastor e deixa-lo no altar... - disse Robertão com muito pesar.
- EU NÃO FIZ ISSO, ROBERTÃO! POR FAVOR, ME AJUDE.
- Ela inclusive disse que você trancou as crianças no banheiro, para que eles não vissem o homícídio....
- NÃO, NÃO, POR FAVOR! POR FAVOR, ME SOLTE...
- Cleycianne, você está presa em nome da lei, qualquer coisa que disser, poderá ser usada contra você.  

Olhei para o lado e todos os pastores com quem conversei durante a semana estavam presentes e me observavam com olhar de desprezo, assim como Cercília que gargalhava enquanto eu caminhava para o camburão aomilhada e quando estava prestes a entrar uma voz gritou:

- SOLTEM A CLEYCIANNE, QUEM ENVENENOU O PASTOR ADENILSON FOI EU!
Olhei para trás e não pude acreditar.






MEU DEUS DO CÉU! Quem envenenou o Pastor Adenilson Nogueira? Não perca essa revelação e uma grande reviravolta no próximo capítulo de "Game of Crentes"!



sexta-feira, 15 de maio de 2015

15 motivos para você não entrar na moda dos livros de colorir para adultos



Todos sabem que o mundo tem uma nova moda: os livros de colorir para adultos, que estão vendendo como água em época de racionamento! Mas será que Deus aprova quem usa esses livros? Bem, para te explicar isso, segue uma lista com 15 motivos para você não entrar na moda dos livros de colorir para adultos, leia com atenção: 


1. Vão achar que você é uma desocupada. 

2. Se te dissessem que sexo anal alivia o stress, você daria o seu ânus também? 

3. A maioria dos livros são repletos de flores para pintar, todo mundo sabe que flor é muitas vezes utilizada como analogia à vagina. O excesso disso pode te causar desejos estranhos e ninguém quer virar sapatão a essa altura da vida, não é mesmo? 

4. Abre margem para brincadeiras do tipo de "você pinta comeu pinto?". 

5. Os desenhos imitam alucinações causadas por drogas pesadas. 




6. Quem entrou na moda também tem pau de selfie e chupa paleta mexicana toda vez que vai no shopping. 

7. Vai pensar que é uma grande artista por conseguir pintar florzinhas bonitinhas, mas você não é! 

8. Poderá usar o seu tempo para coisas mas úteis, como limpar a sua casa que está imunda. 

9. O uso constante de lápis de cor poderá te causar problemas irreversíveis nas mãos, desde inflamações diversas à amputação do membro. 

10. Você pode fazer tanta coisa em casa para desestressar, como: dormir, assistir filmes... por que raios você vai querer chegar cansada do trabalho e ficar pintando esse livro dos infernos? 




11. Ainda não tem versão gospel (quando lançar ignore todos os itens dessa lista).

12. Não emagrece. 

13. Aliviar o stress lavando louça ninguém quer, né? 

14. Andressa Urach não pinta, 

15. Jesus também não! 


SAI SATANÁS EM FORMA DE LIVRO!! CADÊ A DILMA QUE NÃO FAZ NADA? 


________________________________________




Capítulos já publicados: 



Acompanhe essa obra prima literária gospel ! ETA JESUS ESCRITOR! 




quinta-feira, 14 de maio de 2015

Game os Crentes ("Jogo dos Crente" em inglês) - Capítulo 5: Fogo, Paixão e Cura

No capítulo anterior de "Game os Crentes": Pastor Fabiano da Grande Unção prova que sabe o que Cleycianne guarda no misterioso quarto da porta vermelha e a varoa sem saída aceita a proposta de se separar de Wandersson e se casar com ele caso consiga conquistar o trono da Igreja Ungida. Ao buscar apoio na filial do Aricanduva, Cleycianne é surpreendida por Irmã Cercília do Tatuapé que a acusa de ser a assassina de seu marido, o Pastor Adenilson Nogueira, a Igreja inteira fica do lado da vilã, as duas brigam. Aos gritos de "assassina!" Cleycianne foge da Igreja e dá de cara com algo que a deixa Passada em Cristo: 

- Layla Camile!! O que aconteceu com o seu cabelo, minha filha? Você teve que se disfarçar de menino para fugir da casa de Cercília foi?
- Não, mãe.
- Então me conta, pelo amor de Jesus, o que aconteceu!!?
- Eu virei sapatão, mamãe. 
 



Game of Crentes (Jogo dos Crente em inglês)
Capítulo 5: Fogo, Paixão e Cura
Autor: Deus
Escritoura e revisoura gramatical: Cleycianne Ferreira 


- Layla, não sei o que dizer! Preferia ouvir que você tivesse virado uma ladrona ou até uma cereal killer, que são coisas muito comuns na sua idade, mas uma sapatão!? Eu não consigo acreditar... - disse eu com cara de cliente inconformada da operadora TIM.
- Passei dois dias trancada no banheiro com o boy mas lindo de todas as congregações após você jogar ele lá dentro enquanto eu defecava, isso me deixou muito traumatizada! Melhor gostar de vaginas mesmo, pois minha fama de cagona já está correndo pelo Grupo Whatsapp Gospel Teen, nunca fui tão humilhada na minha vida... - disse Layla com lágrimas escorrendo pelo olho direito.
- Veja bem, Layla, eu estou num momento muito difícil de minha vida, estou sendo acusada de assassinato e você me aparece assim, fantasiada de Thammy Gretchen! Tudo isso porque eu quis arrumar um marido rico para você, aposto que o Jofre ficou apaixonado...
- Apaixonado? Ficou 2 dias dando risada da minha cara e me chamando de cagona, depois ainda espalhou a história pela internet, desde então tive que ficar lá na casa da Cercília esperando você me buscar, mas você estava preocupada demais com as SUAS coisas, né? Lembra de quando eu era uma bebéia e você me vendeu por mil reais para comprar um poste de pole dance? Então, nada mudou!
- Tá pensando que é fácil ser assim loura, magra, bonita, de classe média alta e ainda por cima ser mãe? Você nunca entenderá o amor que tenho por você Layla Camile.

Ainda conseguia ouvir as pessoas gritando "assassina! assassina!" dentro da Igreja e logo avistei Irmã Wanda, Irmã Fernanda e Deivisson saindo correndo pela porta.

- Vamos, Cleycianne! Antes que você seja linchada, ta todo mundo dizendo que você é assassina lá dentro, a gente tem que correr!! - disse irmã Wanda desesperada em Cristo.
- Eu não vou para lugar nenhum - resmungou Layla Camile cruzando os braços e sentando no chão.
- LAYLA CAMILE!! - gritaram as irmãs assustadas 
- Você vai sim!! - disse eu tirando a cordinha da penalidade que sempre carrego em minha bolsa para usar em momentos de desobediência de minha filha.
- A cordinha da penalidade não!! - disse Layla Camile tentando correr e sendo impedida pela forte irmã Wanda.
- Fernanda e Deivisson, me ajudem aqui!! - disse eu esticando a cordinha.
- O que você vai fazer com a sua filha, crente doida? - disse Deivisson abismado.
- Vou garantir que ela não faça nada de errado para a sociedade - disse eu em tom de heroína gospel.

Enquanto todos seguravam Layla, peguei a cordinha, comecei a amarrar seus pés e sua mões, ela gritava pedindo socorro, mais logo peguei meu vidrinho de Rivotril da bolsa e pinguei umas gotinhas em sua boca para que ficasse calma. Aproveitei o aplique que tirei da irmã Cercília e coloquei em seus cabelos para que parecesse novamente uma mini varoa. Fiz tudo o que estava em meu alcance para salvar minha filha do lesbianismo, amor de mãe é mesmo uma coisa inexplicável. Feito isso, saímos correndo da Igreja Ungida do Aricanduva! 

Levei Layla amarrada até em casa, mas aquele não era o meu maior problema naquele momento, eu estava sendo acusada de assassinato pela irmã Cercília e isso sim era algo muito grave, para a minha vida e para a manifestação em Cristo que estava chegando. 

Deixei Layla Camile no seu quarto e amarrei a cordinha da penalidade na sua cama, ela ainda estava meio sonolenta por causa do rivotril em Cristo, olhei em seu bolso e percebi que havia um celular bem grande, era um iPhone 6 Plus: 

- Layla, o que é isso? Onde você conseguiu esse iPhone 6 Plus?
- Eu achei na... - disse Layla fechando os olhos 

Na verdade estava pouco me importanto com a explicação, aproveitei o sono de minha filha, peguei o iPhone, olhei para o céu e falei: 

- Essa é a prova de que o Senhor está comigo, precisava comprar um iPhone para Deivisson por ele ter ficado aqui em casa essa semana inteira, mas Deus me deu um!! Isso só serve para me provar uma coisa: Ele está do meu lado. ALELUIAAAAAA! 

Cantei um louvor em voz alta, fiz coreografias góspeis pela casa e fui deitar ao lado de Deivisson, que já havia adormecido. O próximo dia seria crucial, iria buscar apoio na única Igreja que faltava, a Igreja Ungida de São Miguel.



Igreja Ungida de São Miguel - Sexta-feira

Cansada e ainda me recuperando do turbilhão de emoções da noite anterior, deixei Layla Camile na cordinha da penalidade em casa com mais algumas gotinhas de Rivotril e segui para a Igreja Ungida de São Miguel com minhas fiéis dragonas e o aprendiz de heterossexual Deivisson. Chegando lá, encontrei a Igreja fechada com um cartaz na porta: 

"Volte para Itaquera, não aceitamos assassinas aqui em nossa Congregação" 

- Nossa, quem será essa assassina de Itaquera, né gente? - disse eu tentando abrir a porta.
- Cley! Acho que a assassina do cartaz é você... - disse Irmã Wanda em tom de tragédia greco-romana.
- Não pode ser... - disse eu me afastando da porta com cara de assustada. 

Aquilo era demais para mim, era como um pesadelo acontecendo ao vivo, fui de futura rainha da Igreja para assassina em apenas um dia?

- Será que a minha Manifestação vai flopar, irmã Wanda?
- Olha, Irmã Cley, o whatsApp ta bombando com as irmãs comentando as acusações da Irmã Cercília, tem gente que acredita e gente que não acredita...
- Só me faltava essa, faltando dois dias e apenas uma igreja para buscar apoio... Que Deus me ajude! Além de tudo isso, ainda tenho uma filha sapatão amarrada no quarto...
- Mas Deus é fiel, esta contenda acabará, você vai ver! A Manifestação será um sucesso, o trono já é seu por direito divino, lembra? E todos sabemos que você não é nenhuma assassina - disse irmã Fernanda me abraçando carinhosamente.
- Pode contar com a gente, estaremos sempre ao seu lado - disse Irmã Wanda olhando para a Irmã Fernanda que concordava com sua carinha gorda de bolacha Trakinas. 

Olhei para Deivisson e disse:

- Agora eu preciso mas do que nunca te entregar curado para o seu pai amanhã! Você é minha última esperança, já pensou se ninguém mas decide me apoiar? Pelo menos a congregação do seu pai estará comigo, pois não confio nas promessas do Pastor Fabiano da Grande Unção da filial da Juta.
- Me dando o iPhone, pode fazer o que quiser comigo!! - disse Deivisson fazendo carinha de quem tá gostando demas.

Observei aquela cena com olhar repreendedor, mas tenho que confessar, estava sentindo algo por Deivisson e não sabia explicar o que era! Mas acreditei que era apenas amor de médica em Cristo por estar curando ele do homossexualismo e segui em minha missão.


Igreja Ungida de Itaquera - Madrugada de Sábado 


Na madrugada levei Deivisson até a Igreja Ungida de Itaquera com a ajuda das minhas dragonas, pois precisava de um lugar santo para realizar o meu procedimento de cura e expulsão da pombagira que afligia aquela pobre alma.

Sozinha no salão, coloquei o rapaz  sentando em uma cadeira, coloquei a mão em sua cabeca, orei, repreendi, falei em línguas, joguei óleo ungido, joguei ele no chão, puxei pelo cabelo, cantei música gospel e depois de duas horas, virei para ele e perguntei:

- E ai, como se sente? Sente a heterossexualidade tomando conta do seu corpo?
- Não, Cleycianne. Ta tudo normal, igual era antes...
- Então terei que repetir tudo, preciso entregar você curado para o seu pai...
- NÃO, ESPERE! Eu falo para ele que estou curado, que você me salvou da homossexualidade, eu quero te ajudar.
- Mais Deivisson, isso não seria justo! Eu não quero mentir, quero que você seja realmente um heterossexual, palavras não bastam... - disse eu jogando o cabelo para o lado direito e fazendo cara de obesa triste porque a pizza acabou.
- E se eu fizer isso...? - disse Deivisson levantando da cadeira. 

Deivisson se aproximou de mim com desejo, fogo, paixão e enfiou sua língua em minha boca, dando um beijo digno de novela gospel da Record. Fiquei sem ação, com as pernas bambas e após 3 minutos de beijo, me afastei.

- Você não pode fazer isso! Sou uma mulher casada - disse eu com cara de arrependidinha da Estrela
- Mas foi tão bom... - disse Deivisson passando a mão lentamente em seus lábios.

Atordoada, comecei a correr pela Igreja, me jogando contra as paredes sem rumo até ser interrompida pela Irmã Wanda:

- Cley, PARE! Você conseguiu o que queria, eu estava escondidinha ali com a Irmã Fernanda e filmei tudo o que aconteceu com o meu celular.
- Mas eu sou casada, isso é adultério!!
- Para salvar um homossexual vale tudo, lembra? - disse Irmã Fernanda me consolando
- O pastor pai de Deivisson entenderá que você fez isso para cura-lo. Você conseguiu, amiga! Deus está do seu lado!! - comemorou Irmã Wanda

Fiquei calma, respirei, olhei para Deivisson, sorri e chorando de emoção pelo olho esquerdo disse:

- Conseguimos! NÓS CONSEGUIMOS!

Deivisson também sorriu e com olhar apaixonado me abraçou bem apertado e questionou:

- Agora pode dar o meu iPhone?

O dia já havia amanhecido e com pose de vitoriosa levei Deivisson até a Igreja Ungida de São Mateus. Contei meu processo de cura e mostrei para seu pai, o Pastor Clauder, o vídeo onde Deivisson me beijava com desejo.

- Cleycianne, você é mesmo uma varoa muito valorosa e eu farei de tudo para te ajudar na Manifestação de amanhã, apesar dos boatos que estão circulando pelo whatsapp das congregações. Você transformou meu filho em um homem normal, digno e que merece o amor de nosso Deus. Muito obrigado! - disse o Pastor Clauder com os olhos mijados.
- Deus está do nosso lado Pastor, o inimigo não nos amedrontará mas! - disse eu fazendo o sinal da vitória. 

Me despedi dos dois e saí da Igreja sozinha, mas logo fui puxada por Deivisson que havia me seguido:

- E o meu iPhone, Cleycianne?
- Nossa, havia me esquecido, ele está aqui! - disse eu tirando aparelho que havia confiscado de Layla Camile de minha bolsa.
- Que lindo, que grande! Obrigado por cumprir a sua promessa, Cley. - disse Deivisson olhando bem nos meus olhos.

Ficamos alguns segundos nos olhando e Deivisson prosseguiu:

- Me leve com você, não quero ficar aqui com o meu pai, por favor!
- Infelizmente não posso fazer isso, sou uma mulher casada e mãe de uma filha problemática e defeituosa sexualmente. Seu lugar é aqui aprendendo a ser um Pastor Ungido com o seu pai. Mas aceito ser sua amiga de Facebook, não perderemos contato - disse eu virando as costas e indo embora com o coração partido.

Olhei para trás e Deivisson estava lá parado, triste, mas eu não poderia voltar, eu não poderia perder o foco de minha batalha! Faltava muito pouco para a minha manifestação, faltava pouco para eu reinvindicar junto com o meu exército o trono que era meu por direito divino!! QUE VENHA A MANIFESTAÇÃO EM CRISTO!!





Muitas emoções em Cristo e o início de uma grande reviravolta. Não perca o próximo capítulo de "Game of Crentes"!!


quarta-feira, 6 de maio de 2015

Game os Crentes ("Jogo dos Crente" em inglês) - Capítulo 4: A intervenção de Cercília

No capítulo anterior de "Game of Crentes": Cleycianne aceita curar  Deivisson, o filho homossexual do Pastor da Igreja Ungida de São Mateus, em troca do apoio da congregação e começa o ritual de cura do rapaz. Prosseguindo em sua missão de formar um exército para sua grande Manifestação em Cristo, nossa ungida segue até a filial da Fazenda da Juta onde reencontra o ex-ator pornô e antigo desafeto Fabiano Jegue, agora conhecido como Pastor Fabiano da Grande Unção, que só apoia a Manifestação em Cristo de Cleycianne se ela se casar com ele.  Cleycianne nega a proposta  dizendo que é casada e aquilo é contra tudo o que ela acredita, mas fica chocada quando o Pastor diz: 


- Bem, o que você esconde naquele quarto da sua casa também vai contra tudo o que você acredita. Se você casar comigo, eu não conto para ninguém o que tem lá, porque se contar você já sabe, né? Esse trono nunca será seu. E ai, aceita?





Game os Crentes ("Jogo dos Crente" em inglês) 
Capítulo 4: A Intervenção de Cercília
Autor: Deus
Escritoura e revisoura gramatical: Cleycianne Ferreira


- Você está blefando Fabiano - disse eu virando de costas e jogando o cabelo para o lado esquerdo.
- Blefando nada, Cleycianne! Lembra daquela vigília que teve na sua casa mês passado? Então, todas as irmãs que foram voltaram falando desse seu tal "quarto misterioso" e eu como estou sempre um passo à frente, resolvi investigar... - disse o Fabiano da Grande Unção se aproximando de mim até encostar seu pênis no meu bumbum.
- E descobriu o que? Me diga!! - disse eu trêmula.
- Vou sussurrar no seu ouvidinho, já que será um segredo só nosso, né?

Pastor Fabiano sussurrou em minhas delicadas orelhas, aproximando a sua barba cerrada de meu pescoço. Após ouvi-lo, virei, olhei bem em seus olhos e disse:

- Você sabe mas do que eu imaginava, Pastor.
- Sim e você ainda duvida de mim... Aceita ou não aceita o meu pedido de casamento?

Fiz cara de dor, como se estivesse sendo penetrada duplamente, abaixei a cabeça e em tom de mulher batalhadora, que não é sapatão e disse:

- Se conseguir o trono, prometo me separar do Wandersson e casar com o senhor.

Fabiano sorriu e disse:

- Não vejo a hora de relembrar os velhos tempos, Cleycianne. Nossa lua de mel será destruidora! Agora, pode ir embora, não deixarei você dar o seu testemunho em minha Igreja, mulher aqui não tem voz aqui!
- Mas como eu saberei que suas ovelhas irão até a minha manifestação no domingo? Você está me enganando!!
- Te dou a minha palavra, agora vá embora com suas amigas feias e aquele seu amigo homossexual que ficou olhando para o volume de minha calça, que eu ficarei pensando aqui na sua vagina peludinha. 

Na mesma hora, 5 seguranças adentraram ao salão, me puxaram pelo braço e colocando para fora da Igreja onde estavam Irmã Wanda, Irmã Fernanda e Deivisson aguardando.

- Cley, o que aconteceu? O culto nem começou, você não conseguiu dar o seu testemunho? - interrogou irmã Fernanda com cara de obeso em dúvida no Mcdonald.
- Consegui - disse eu de forma seca e triste.
- Irmã, você não está bem! Vamos, antes que sejamos estupradas aqui na Juta. - disse Irmã Wanda me protegendo em seus grandes braços negros.
- Fiquem sossegadas, minhas dragonas, eu estou bem! E a Irmã Wanda tem razão, vamos sair daqui agora! - disse eu tentando disfarçar a minha tristeza
- Eu ouvi estrupradas? Vamos, ficar um pouco mas irmãs!! - disse Deivisson se animando.

Saímos fugidas da Juta, diretamente para a minha casa. Chegando lá, elas insistiram em fazer uma deliciosa ceia ou limpar o meu banheiro para me animar, mas eu precisava ficar sozinha em casa, apesar de ter que manter Deivisson comigo até ele se curar.

- É Katylene, não deve ser fácil ser chantageada desse jeito...
- O que você está dizendo, Deivisson? E você sabe que meu nome não é esse...
- Sou muito fã dos filmes do Fabiano Jegue, principalmente os que ele fez com o Kid Bengala, então não resisti e espionei o papo de vocês. Ouvi tudo o que ele te disse, pena que não conseguir ouvir sobre o seu segredo... O que você esconde alí naquele quarto? - disse Deivisson seguindo em direção ao quarto da porta vermelha.
- NÃOOOOOOOOOOOOOO! Deivisson, você quer ficar sem o seu iPhone 6 Plus 64GB? Então é bom ficar bem longe daí... - disse eu desesperada em Cristo
- A minha curiosidade é maior... - disse Deivisson forçando a porta para entrar. 

Em um ato de desespero comecei a gritar e a chorar muito pelo olho esquerdo, me joguei no chão e comecei a fazer uma grande cena de drama.

- Abra, acabe com a minha vida, Deivisson, faça isso agora....
- Calma, Cleycianne!! Não precisa fazer tudo isso, eu não quis te magoar, me desculpe... - disse Deivisson abaixando e se aproximando de mim.

O meu choro desesperado em Cristo se tornou um choro baixo, daqueles bem cheio de mágoas e ressentimentos e quando percebi já estava sendo amparada nos braços fortes de Deivisson, que me pedia calma e falava que tudo ia ficar bem.

O moreno forte me levou até a cama em seu colo, pingou gotinhas de Rivotril em minha boca, me deu um beijo na bochecha, deitou ao meu lado e disse:

- Se precisar, estou aqui, Cley.

Tirei meus seios para fora, para prosseguir no processo de cura, e suspirei apaixonada.


Igreja Ungida do Aricanduva - Quinta-feira 


Mesmo com o sufoco que passei na última noite, fui em direção à Igreja Ungida do Aricanduva para buscar mais apoios para a minha Manifestaçao em Cristo e fui recebida pelo Pastor Ademair, um grande aliado do Pastor Jairo de minha congregação, que já estava sabendo da história e havia autorizado o meu testemunho em seu culto antes mesmo de conversar comigo pessoalmente, pois devia muitos favores à Igreja Ungida de Itaquera e ao Pastor Jairo.

Sem ter que passar por nenhum pedágio, subi ao púlpito na hora do culto e comecei a contar o meu testemunho, a minha missão e porque Deus havia me escolhido para ocupar o trono do falecido Pastor Adenilson Nogueira na Igreja Ungida. Mas infelizmente fui interrompida,  a porta da Igreja se abriu e eu não pude acreditar no que eu vi: era irmã Cercília acompanhada de 5 seguranças.

- Não acreditem nessa desordeira de Satanás! - disse Irmã Cercilia fazendo pose de diva em um lindo vestido de camurça verde.
- Irmã Cercília, eu peço por favor, respeite a casa do Senhor. Estamos tratando de um assunto sério... - disse eu irônica em Noé.
- Olha só quem fala, a mesma vadia que não esperou nem o corpo do meu marido esfriar para dizer que era a herdeira do trono da Igreja Ungida, você quer dinheiro e poder e está usando essas pobres pessoas para conquistar algo que não é seu por direito e pra piorar ainda abandona a filha  de 13 anos trancada no banheiro da Igreja, só para ela conseguir um bom marido...
- Mida suas palavras, irmã Cercília do Tatuapé, eu só fiz o que o Senhor me ordenou e não acredito em "direitos" civis, só acredito no "direito divino" assim como todos os crentes. Você tem que concordar, eu sou a escolhida por Deus para ocupar o trono da Igreja Ungida e quanto a minha filha, isso se chama amor de mãe, coisa que você não sabe o que é! Agora vá embora e deixe eu continuar o meu testemunho....
- Meu filho é o escolhido e enquanto ele não completar a maioridade, quem manda lá sou eu... não vai ser nenhuma manifestação que fará eu largar o que é meu e do meu filho Jofre por direito.
- Mas eu continuarei firme no meu propósito, Cercília. - disse eu descendo do púlpito e me aproximando da grande vilã dessa história, enquanto a Igreja em silêncio observava tudo como se estivesse assistindo "Os Vingadores 2 - Era de Ultron".
- Você não chegará até domingo, queridinha. Será presa antes!! - disse irmã Cercília olhando bem em meus olhos claros e límpidos.
- Presa, está louca? Não sou ladrã, não sou traficanta de drogas, nada...
- É sim, é uma assassina!! A necrópsia do corpo do meu marido finalmente saiu hoje e adivinha, ele foi envenenado!
- Envenenado? Meu Deus! Quem faria uma coisa dessas?
- Você! Quem mas está tão desesperada em conseguir o que era do meu marido? Você é a principal suspeita e eu vou te colocar na cadeira, ah se vou! - disse irmã Cercília se aproximando ainda mas de mim e puxando meus lindos cabelos louros suavemente.
- Eu nunca faria isso e tire suas mões imundas de mim!! - disse eu também puxando o cabelo da irmã Cercília.

A Igreja suspirava de emoção! Ao ver aquilo acontecer, Irmã Wanda e Irmã Fernanda correram para nos separar, mas os seguranças de Cercília barraram minhas ungidas dragonas, que ficaram chorando enquanto eram impedidas de me ajudar naquela contenda.

Irmã Cercília começou a puxar o meu cabelo com força e eu a puxar o cabelo dela com mas força ainda, até que Deus agiu e quando eu percebi, havia uma grande quantidade de cabelo ruivo em minhas mões, era o megahair de Cercília que havia descolado. Sem rumo e mostrando o seu verdadeiro cabelo, um cortezinho despontado um pouco abaixo do ombro, Irmã Cercília largou meu cabelo louro natural e foi saindo da Igreja constrangida, mas ainda gritando:

- Você será presa! Essa sua manifestação não sairá!! Você vai ver, Cleycianne!! ASSASSINA!!
- Você que pensa! Deus é Mas! Deus é maior!! - gritava eu repetidamente enquanto acompanhava a sua saída da Igreja.

Voltei ao púlpito e na hora que ia finalizar o meu testemunho um gritou ecoou pela Igreja:

- ASSASSINA!! 

Olhei e todos me olhavam com caras raivosas e repetiam aquela palavra horrível e injusta contra a minha pessoa:

- ASSASSINA! ASSASSINA!! 

Tentei explicar no microfone que aquilo era uma grande mentira, mas os gritos ficaram mas altos que a minha voz. Fiquei sem rumo e saí correndo pelo corredor da Igreja até chegar na rua, onde respirei e falei:

- Senhor, o que mais eu tenho que passar para conquistar esse trono? ME AJUDA! 

Foi quando senti um puxão na minha saia, olhei para o lado e vi um menino:

- Que foi, menino? Não tenho pão duro hoje não, me deixa! - disse eu virando o rosto.
- Sou eu mãe!

Olhei bem nos olhos do menino e não pude acreditar!!

- Layla Camile!! O que aconteceu com o seu cabelo, minha filha? Você teve que se disfarçar de menino para fugir da casa de Cercília foi?
- Não, mãe.
- Então me conta, pelo amor de Jesus, o que aconteceu!!?
- Eu virei sapatão, mamãe. 

Fiquei paralisada, cinza, num fundo vermelho, como no final de "Avenida Brasil". SOCORRO JESUS!




E agora? Cleycianne conseguirá atingir o seu objetivo? Se casará com Fabiano da Grande Unção? Será presa? Conseguirá curar Deivisson? Sobreviverá mesmo com uma filha lésbica? Não perca o Capítulo 5 de "Game of Crentes".



sexta-feira, 24 de abril de 2015

Game of Crentes ("Jogo dos Crente" em inglês) Capítulo 3: A volta do "homem sem rosto"

No capítulo anterior de "Game os Crentes": Cleycianne consegue o apoio de Irmã Wanda e Irmã Fernanda para batalhar pelo trono da Igreja Ungida. Aconselhada pelo Pastor Jairo da filial de Itaquera, Cleycianne decide fazer uma grande Manifestação em Cristo em frente à sede para reivindicar seu trono, mas para isso precisa do apoio de todas as outras filiais, precisa montar um exército de apoiadores da causa. A primeira parada de Cleycianne é na Igreja Ungida de São Mateus, mas o Pastor da filial diz que só vai apoiar a causa se a irmã curar seu filho homossexual em apenas uma semana. 



Game os Crentes ("Jogo dos Crente" em inglês) 
Capítulo 3: A volta do "homem sem rosto"
Autor: Deus
Escritoura e revisoura gramatical: Cleycianne Ferreira




Olhei bem para Deivisson, o homossexual moreno e forte, virei meu rosto fazendo cara de dor e finalmente respondi para o Pastor:

- Eu topo curar Deivisson do homossexualismo em troca do apoio de seus fiéis.

Pastor deu um sorrisinho de lado e disse:

- Ótimo! Os irmões já estão chegando para o culto, o testumunho hoje é seu, poderá contar sua história e chamar todos para a sua manifestação domingo, mas eu só irei libera-los se você curar meu filho até sábado, lembre-se disso!

E tudo aconteceu como planejado, subi ao púlpito, contei meu testemunho, pedi apoio dos irmões da Igreja Ungida de São Mateus e pelos olhares compreensivos e róstos alegres, atingi meu objetivo! Agora só precisava curar Deivisson, que no final do culto já estava com sua mochila pronta esperando eu e as irmãs, se despediu de seu pai e partiu conosco para o terminal de ônibus.

- Deivisson, isso que você está fazendo é uma coisa muito linda, servirá de exemplo para muitos jovens, pois a maioria dos homossexuais não aceitam a cura do Senhor... - disse eu pegando na mão do rapaz e fazendo cara de crente compreensiva.
- Legal, irmã Katylene. Mas saiba que só aceitei vir com você porque queria ficar livre de meu pai e finalmente fugir de minha casa, agora, por exemplo, estou indo para sauna dar meu ânus bem gostoso. Partiu, Chilli Peppers! - disse Deivisson cofundindo meu nome com a de uma falecida travesti da época de outrora.
- Primeiro, meu nome é Cleycianne, não é esse aí que você disse... pelo jeito você não anda lendo os obitúarios dos jornais, não é mesmo? Segundo, você vai comigo SIM!
- Quero ver você me convencer, Katylene.
- Qual celular você tem Deivisson? - disse eu com cara de negociadoura de Javé.
- Esse Samsung Galaxy Gran Duos, muito bom, tela grande...
- E se eu te prometer um iPhone 6 Plus 64GB...
- Se eu me curar?
- Não necessariamente, você só precisa ficar comigo até sábado. Só isso...

Deivisson ficou passado em Cristo com a minha oferta e como ninguém recusa iPhones, seguiu comigo e com as irmãs para Itaquera, pois para tirar um homossexual da vida pregressa, VALE TUDO! 

Chegando em minha casa, acomodei Deivisson em meu próprio quarto, na minha cama e para começar logo a cura, esperei ele tirar a roupa para dormir e entrei no quarto com os seios de fora: 

- O que é isso, sua crente louca? - disse Deivisson levantando da cama assustado.
- Seios, bonitos, não? - disse eu fazendo sinais circulares com as mões em volta dos meus lindos e duros seios.
- Uma mulher casada se oferecer para outro homem é pecado, você anda faltando na Igreja?
- Não ando faltando na Igreja, na verdade eu não falto, nenhum dia! Deus permite que eu faça isso, pois estou mostrando que você pode gostar de seios femininos, para o meu Senhor tudo é válido para tirar um homossexual cego do vale das sombras - Disse eu balançando os seios lentamente.
- Tá e agora? Vai tirar o resto da roupa e me obrigar a fazer sexo com você? - disse Deivisson colocando a mão na cintura como uma varoa brava.
- Não, isso só quando você casar com uma varoa, meus seio são apenas uma amostra grátis. Alias, para completar a degustação de hoje, eu tenho mas uma supresinha... IRMÃ FERNANDA E IRMÃ WANDA, ENTREM POR FAVOR. 

Foi então que para o supresa de Deivisson as duas irmãs também entraram com os seios de fora dentro do quarto e se pararam ao meu lado. 

- Veja, Deivisson, aqui temos uma diversidade de mulheres, uma obesa branca, uma obesa negra e eu, praticamente uma panicat do Senhor. Viu, como a heterossexualidade também permite uma diversidade de góstos e corpos diferentes?
- Vocês são loucas!! O que a gente não faz por um iPhone 6 não é mesmo? - disse Deivisson deitando de bruços com a cara no travesseiro. 

Mandei as irmãs embora e me deitei ao lado de Deivisson, que se assustou novamente: 

- Vai dormir do meu lado, está louca crente safada?
- Sim, dormirei com anáguas tampando minha partes baixas e com os seios desnudos, se você quiser tocar neles durante a noite, fique a vontade - disse eu levantando rapidamente para pingar minhas gotinhas de Rivotril em Cristo direto na boca. 

Deivisson fez cara de nojo, virou para o lado e dormiu, enquanto eu cantava louvores de cura em seus ouvidos. Assim que o dia amanheceu continuei o processo de cura, coloquei o rapaz forte sentado no sofá, deixei a tv sintonizada em um canal de esportes, escondi o controle e enquanto eu limpava a casa, levava petiscos e refeições para ao varão, que ficou bem encantando com a vida de um real homem heterossexual, só não gostou das orações tira-encosto que eu realizava a cada duas horas com a mão em sua cabeça.

Mas eu tinha um trabalho muito maior para continuar, ainda faltavam 4 Igrejas e eu precisava formar o meu exército até o final de semana, a manifestação em Cristo para reinvindicar meu trono na Igreja Ungida já era domingo! Peguei Deivisson, chamei as minhas dragonas e um pouco antes de anoitecer, parti para a Igreja Ungida de Guaianazes. 


Igreja Ungida de Guaianazes - Terça-feira

Pastor Elisbão, um homem com cara de padeiro, bigode de português, com corpo do Faustão após cirurgia bariátrica, me recebeu com muito carinho, me deu abraços apertados, ouviu minha história e rapidamente me autorizou a dar o meu testemunho no culto. Disse que era totalmente a favor de minha causa e que os fiéis da pequena Igreja Ungida de Guaianazes com certeza me apoiariam na manifestação de domingo.

Dei meu testemunho, falei com as pessoas, Deivisson e as irmãs distrubuíram folhetos com lindas fotos minhas sentada em trono, porém no final fui supreendida com um pedido no mínimo estranho do Pastor, que me chamou até a sua sala e disse: 

- Agora que você já fez tudo o que tinha que fazer, eu tenho um pedido.
- Pode falar, Pastor Elisbão.
- Preciso que me dê a sua calcinha!
- Minha calcinha? Mas, eu usei ela o dia inteiro, ta suja...
- Melhor ainda...
- Pastor, você é um tarado sexual?
- Não, calma, deixa eu te explicar: você está cansada de saber que as mulheres não possuem a mesma inteligência que os homens e não quero ver você chegar no trono da Igreja Ungida e botar tudo a perder, por isso usarei a sua calcinha para uma oração ungida de potência cerebral para mulheres. Faço isso com todas as irmãs aqui da congregação e todas elas são inteligentíssimas.
- Ah tá, já tava pensando que era para outra coisa... se é assim, SIM! - disse eu tirando a calcinha por debaixo da saia e dando para o pastor que a aproximou do nariz como sinal de agradecimento. 

Saí da sala feliz e aliviada, pois esse papo de Pastor tarado é tudo intriga da oposição. 


Igreja Ungida da Fazenda da Juta - Quarta-feira 

Após passar mais um dia trabalhando na cura de Deivisson e repetindo a rotina de procedimentos de cura do dia anterior, parti para a Igreja Ungida da Fazenda da Juta, um lugar perigosíssimo, onde só se é permitida a entrada após a liberação dos traficantes. Por incrível que pareça, essa congregação possui um número muito grande de fiéis, perdendo apenas para a Sede do Tatuapé, seguida da Igreja Ungida de São Mateus. 

Após mandar e-mails e cumprir todos os pedidos dos traficantes (tive que dar o celular da irmã Wanda para entrar na comunidade + R$100 reais), cheguei à Igreja Ungida da Fazenda da Juta. Uma construção linda, com detalhes em ouro e iPads à vontade para os irmões acessarem a Bíblia online enquanto estiverem na Igreja, aquele lugar só perdia para a Sede do Tatuapé em boniteza. 

- Olá Cleycianne, quanto tempo! - disse uma voz atrás de mim. 

Virei para ver quem era e não pude acreditar no que via, era Fabiano Jegue, o "homem sem rosto" dos filmes pornográficos da época em que eu era oca e trabalhava na indústria pornô. 

___________________________

Flashback em Cristo. 

Em minha rápida passagem pela indústria pornográfica do começo dos anos 2000, me deparei com muitos atores pornográficos, mas ninguém havia me marcado tanto quando Fabiano Jegue, o "homem sem rosto". 

Fabiano era um homem moreno, musculoso e com um pênis de 24cm, mas como era muito feio, usava uma máscara de lutador mexicano em seus filmes e ficou muito famoso na época por causa disso. Fabiano não tirava aquela máscara de forma alguma, ninguém da industria conhecia seu rosto, nem o público, ele dizia que esse era o segredo de seu sucesso. 

Eu como uma boa pecadora, tinha o sonho de contracenar com esse homem, pedi e forniquei com vários diretores para conseguir fazer a cena com o tão falado ator e não demorou muito para isso acontecesse, quando vi lá estava eu, nua e fazendo sexo para as câmeras com aquele homem enigmático. 

A filmagem foi acompanhada por vários fãs, que fotografavam tudo que acontecia e alguns jornalistas que faziam uma matéria para a Veja sobre o "homem sem rosto do pornô". Na empolgação do momento, Fabiano decidiu fazer anal comigo e eu sem pensar duas vezes topei! 

Logo que começamos, senti que havia algo errado com tudo aquilo, pois aqueles 24 cm estavam me incomodando, então pedi para ele tirar um pouquinho. Na hora que tirou, ouvi um grito de desespero: 

- MEU DEUS, TEM COUVE NO MEU PÊNIS! - disse o "homem sem rosto" colocando a mão na cabeça. 

Enquanto eu escondia a cara por vergonha, ele, desesperado com a situação, tirou a máscara para poder respirar melhor, já que o cheiro de fezes infestou o estúdio e o que ele menos queria aconteceu: todos começaram a tirar fotos de seu horrível rosto, que estava desnudo. 

As fotos foram parar na internet, na Veja e sua carreira pornô acabou rapidamente, assim como a minha. Ele me culpou por sua decadência, chegou até a me jurar de morte e eu fugi todo esse tempo dele como o diabo foge da cruz. 

____________________________


- Fabiano Jegue, o que você faz aqui? - disse eu com cara de "quem tem ânus, tem medo".
- Fui salvo, assim como você, Cleycianne. Virei Pastor e hoje comando a Igreja Ungida da Juta, muita bença, não? Meu nome agora é Fabiano da Grande Unção.
- Muita bença mesmo, parabéns por encontrar Jesus. Não sabia que você era Pastor aqui e fico muito feliz em te ver tão bem.
- Mas creio que você não veio aqui a passeio, não é mesmo? E muito menos para conhecer o meu luxuoso templo.
- Não, vim com uma missão...
- Nem precisa me contar, eu já sei de tudo, as conversas correm, irmã! Quero conversar com você a sós. - disse Fabiano da Grande Unção me olhando bem nos olhos.

Dois homens vieram e tiraram Irmã Wanda, Irmã Fernanda e Deivisson pelos braços do salão da Igreja. 

- Pronto, a sós finalmente.
- Pastor, eu espero que você não tenha nenhuma mágoa do passado, espero que você tenha deixado tudo para trás.
- Meu passado morreu, Cleycianne. Renasci para Cristo e aqui estou, comandando uma grande Igreja, o que eu quero conversar com você não tem nada a ver com isso.
- Me conte o que é, Pastor, quem sabe eu não posso ajudar.
- Eu tenho muito interesse pelo trono da Igreja Ungida e em você também. Te dou todo meu apoio, assim como dos meus fiéis e também quero ser dono de tudo isso...
- Mas Pastor, a minha visão foi clara, o trono é meu por merecimento divino.
- Sim e eu não duvido disso, mas se você casar comigo também será meu.
- Eu sou uma mulher casada, não posso fazer isso...
- Casada? Com esse marido viajando há meses? Te dou meu apoio, mas você tem que se separar e casar comigo, se por acaso, conseguir o trono. Você me deve muito, você acabou com a minha vida no passado, é o mínimo que pode fazer por mim hoje e tem muita coisa em jogo aqui...
- Entendo que a sua Igreja é muito grande, tem muitos fiéis, mas eu não posso aceitar isso, seria contra tudo o que eu acredito...
- Bem, o que você esconde naquele quarto da sua casa também vai contra tudo o que você acredita. Se você casar comigo, eu não conto para ninguém o que tem lá, porque se contar você já sabe, né? Esse trono nunca será seu. E ai, aceita? 


COMO ELE SABIA DAQUILO? ME AJUDA SENHOR!! 





E agora? Será que Cleycianne aceitará se casar com Fabiano da Grande Unção? O que será que Cleycianne esconde no quarto secreto? E Layla Camile, por onde anda? Cleycianne conseguirá o apoio da outras 2 Igrejas? Deivisson será curado? Não perca o próximo capítulo de "Game os Crentes"! 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...